Veja as principais Exames feitos pelo Médico Coloproctologista


a) – Exame físico proctológico

O exame físico proctológico é realizado pelo especialista nos pacientes com queixas relacionadas a região anal e na prevenção do câncer colorretal. Fazem parte de ume exame completo a inspeção anal (estética e dinâmica), toque, anuscopia e retossigmoidoscopia rígida. Em geral o exame é realizado com o paciente deitado sobre o lado esquerdo e pernas flexionadas.

b) – Toque retal

O toque retal ou exame retal digital (ERD) fornece informações sobre possíveis patologias do canal anal, do reto distal e dos órgãos adjacentes, uma avaliação da função neurológica dos músculos da continência fecal. Existem contraindicações relativas para esta parte do exame, como a presença de lesões dolorosas.

As chaves para um ERD bem sucedida podem ser resumidas por regras simples: lubrificação adequada, suavidade e atenção aos detalhes. Após uma comunicação adequada com o paciente, um dedo indicador bem lubrificado com luva é colocado ao logo do ânus para lubrificar a área geral. A ponta do dedo é então suavemente inserida na abertura anal.

O reto distal e o canal anal, juntamente com as estruturas circundantes, devem ser investigados de forma organizada e gradual. A avaliação deve ser feita em toda a circunferência do lúmen, movendo o dedo suavemente por todo o ânus e reto distal.

c) – Anuscopia

A avaliação endoscópica do paciente com queixas colorretais permite ao médico que visualize o trato intestinal e é fundamental no diagnóstico, tratamento e monitoramento da eficácia de qualquer terapia.

O anuscópio é um instrumento relativamente simples, consiste em um obturador, a própria óptica e uma fonte de luz.

O anuscópio com obturador é de forma generosa lubrificado e suave e gradualmente será todo inserido ao longo do ânus. Depois da inserção bem sucedida, o obturador é removido e o exame da região anorretal é realizado.

Durante o exame anuscópico, as hemorroidas podem ser tratadas ou biópsias de lesões suspeitas podem ser obtidas. Complicações de Anuscopia são raras, mas podem incluir hemorragias ocasionais de hemorroidas ou a lesão inadvertida do anoderma.

d) – Retossigmoidoscopia Flexível (Reto-Flex)

O uso da sigmoidoscopia flexível (SF) no consultório aumentou por causa da facilidade de uso e do alto rendimento dos achados em relação a retossigmoidoscopia rígida. Convencional. Como a óptica pode chegar até a flexura esplênica, a avaliação de todo o colo sigmóide é obtida em até 85% dos pacientes.

As indicações para SF em consultório são amplas, mas incluem sangramento retal vermelho-vivo, diarreia, controle de neoplasia retal e avaliação de anastomose pós-operatória. Geralmente os pacientes necessitam de um a dois enemas antes do procedimento. Complicações da SF são incomuns e incluem dor abdominal e perfuração.

d) – (Vídeo)Colonoscopia

A colonoscopia é um exame que usa técnica semelhante à da endoscopia, mas que avalia principalmente o intestino grosso com o objetivo de diagnosticar infecções, tumores e pólipos (crescimento anormal do tecido da mucosa).

Com o paciente sedado, é introduzido pelo ânus um colonoscópio, uma espécie de tubo flexível com cerca de 01 metro de comprimento e 01 centímetro de diâmetro com uma minicâmera na ponta. O paciente não sente dor.

A colonoscopia completa permite que o médico avalie completamente a mucosa do íleo terminal, colo e reto e obtenha biópsias ou uma documentação fotográfica de quaisquer anormalidades identificadas.

As indicações específicas para uma colonoscopia são múltiplas. Para o rastreamento de câncer colorretal, a indicação é que todas as pessoas sem histórico familiar para esse tipo de câncer façam o exame a partir dos 45-50 anos. Quem tem ou teve familiares com a doença, deve começar a realizar o exame dez anos antes da idade que o parente tinha quando recebeu o diagnóstico do câncer.

Uma preparação intestinal é de importância crítica para que possa examinar adequadamente todo o colo.

A colonoscopia não necessita de internação, o paciente e liberado logo em seguida. A presença de um acompanhante é essencial, já que os efeitos dos sedativos e anestésicos podem demorar algumas horas para passar. A alimentação após o exame deve ser leve. Caso seja retirado tecido para biópsias ou pólipos sejam removidos, podem ocorrer sangramentos, o que é normal. Outros efeitos colaterais são gases e desconforto abdominal.